Astarte

astarte
Anar El
Or Artionel Or El í
Ai Ai omercatel í
Ai Ai omercatel û
***
Assassino azul
Entre espelho
Cristal resgate
Cabeça a prémio
***
Anárien intiló i umicorti unamió
Quentáliáno Quentálian
***
O mar vermelho desenhado no meu corpo
Foi jurado não em sangue
Mas naquele líquido que também suja lençóis
Eu obssecado com ela
Dá-me vontade de escrever
Ver a dúzia das linhas, o cinzento e o negro
Ver o seu pêlo vermelho a criar chamas
Traços formam-se na sua pele
E passam debaixo dos olhos
E descem o pescoço, um de cada lado
Passam sobre o topo dos mamilos
E descem as pernas até à sola do pé
E repousam na parte de cima num circulo
Eu quero-te
***
AmaziDumah
Anazi i talimar malinnar i intá
Dielni ná nielzar zu vámalimar
I inda i tá indá má i inda má
***
A lua eleva-se ao ponto máximo
E os coelhos gritam
Desce um véu que devora os amantes
E as crianças
Uma lança negra chora sangue
E eu consigo
***
A dama branca obriga-te a seguir
Quando pensas que acabou
Que não há mais
Mostro-te que mesmo a inaptidão e a frustração
Se podem transformar em algo diferente
Força
***
Amor a luz planta
***
A deusa vermelha
Coragem entre as pernas e o suspiro final
O fim, a morte é o meu objetivo
E por isso tudo é possível
Tudo é válido e belo
***
Vitória
Uma deusa infiel
Quem me dará de beber?
Quem me seguirá?

Um estranho brilho
Abre a porta
Para outro lado
Será que ouviram falar da porta verde?
Que interessa...
Eu

Ela, a hora marcada
O vestido roxo, coxas
E o destino sombrio, traçado
Como borboleta do crepúsculo
Devorada pelo rato alado
Testemunha da noite
***
A severa deusa do céu
Grita os pardais em deslumbres
Eu caio e me guardo na lâmina de cristal
Os teus olhos são âmbar
Preservam-me para sempre
Eu vi o teu sorriso
Garras
seta esquerda circulo seta direita